Impostos e inflação são maiores desafios da construção, diz setor - construção civil,Rubens menin,fiesp,impostos - Grupo Ferrominas - O Nome Forte em Ferro e Aço!
Nosso site utiliza cookies para melhorar a navegação do usuário. Os cookies são pequenos arquivos de páginas que você visita e que ficam salvos no seu computador. Clicando em "Eu Aceito!", você concorda com esse armazenamento no seu dispositivo e nossa Política de Privacidade.
Receba novidades do blog Mundo do Aço!

Mundo do Aço

Impostos e inflação são maiores desafios da construção, diz setor crédito: agencia brasil/divulgação

Desequilíbrio na cadeia produtiva, preços dos materiais acima da inflação e elevada carga tributária são hoje os principais desafios da construção civil, segundo o presidente do Conselho Superior da Indústria da Construção (Consic) da Fiesp, Rubens Menin, que também é dono da construtora MRV.

“Nossa indústria não tem como ser pequena frente ao tamanho do Brasil. No entanto, temos grandes impeditivos e qualquer ação que possa destravar é significativa”, afirmou ele, em reunião do conselho na última quarta-feira (11/5), na Fiesp.

Menin afirmou também que é o momento de as entidades representativas do setor trabalharem em conjunto para apresentar para o poder público as medidas que consideram importantes. Para nortear as ações do Conselho, foi apresentado um conjunto de assuntos relevantes para o setor, com a proposta de analisar quais prioridades serão definidas.

Fernando Garcia, consultor econômico do Departamento da Indústria da Construção e Mineração (Deconcic) da Fiesp, lembrou que as ideias abordadas no ConstruBusiness, o  Congresso Brasileiro da Construção, realizado na entidade, já serviram como propostas às demandas do setor.

Contudo, com o cenário atual em que o Brasil passa de desequilíbrio econômico e financeiro, os dados da época não podem mais ser considerados, e é preciso ajustar à realidade de hoje.

Rodrigo Navarro, membro do Conselho, na questão tributária, é preciso olhar prioritariamente para o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). “Não podemos nos focar apenas no aspecto Brasil, temos, sim, de olhar para São Paulo. Outra sugestão é mirar o aspecto internacional, ver como é feito no exterior e trazer esse know-how para o Brasil”, disse. Ele acrescentou que retomar obras paradas pode ser um componente importante para a geração de renda na atual conjuntura econômica.

O vice-presidente do Consic, Luiz França, apresentou os principais desafios que o Conselho precisa trabalhar no nomeado “Custo Brasil/Avenidas de Crescimento”. Os temas importantes em que a Fiesp pode contribuir são: burocracia em licenciamento e modernização de processos; custo financeiro; reformas estruturantes; produtividade e qualificação profissional; modelo de negócios para concessões e Parceria Público-Privada (PPPs); planejamento de infraestrutura, habitação e saneamento; e atividades para financiamento. 

Diante dessa lista, Menin aconselhou o grupo a se debruçar sobre alguns itens. “Precisamos focar em dois pontos para o crescimento do país: primeiro, vencer a burocracia, trabalhar com PPPs e concessões é fundamental; e segundo, ter uma boa comunicação direta e objetiva é mais eficiente do que juros compostos”, resumiu.

Comente aqui
O seu endereço de e-mail não será exibido no comentário
Campos obrigatórios estão indicados com ( * )
Ainda restam caracteres.
Seu comentário está aguardando aprovação.
Obrigado pelo seu comentário!

ferrominas@ferrominas.com.br

Rua Virgínia Brandão 157 - Santa Luzia
Centro, Ubá - MG, 36506-006