Nosso site utiliza cookies para melhorar a navegação do usuário. Os cookies são pequenos arquivos de páginas que você visita e que ficam salvos no seu computador. Clicando em "Eu Aceito!", você concorda com esse armazenamento no seu dispositivo e nossa Política de Privacidade.
Receba novidades do blog Mundo do Aço!

Mundo do Aço

Exportações brasileiras de aço cresceram 58% em outubro crédito: Washington Alves/Light Press

Passado o período de forte aquecimento nos setores da construção civil e do aço iniciado em meados de 2020, quando as pessoas decidiram reformar suas casas no isolamento e as construtoras não precisaram parar na pandemia, o mercado brasileiro entrou, nos últimos meses, num ritmo de acomodação.

No auge da demanda inesperada por aço, no ano passado, as siderúrgicas se viram obrigadas a religar às pressas seus auto-fornos para dar conta de tantos pedidos. Faltou matéria-prima, e os preços dispararam.

Os sucessivos reajustes nos preços não só do aço, mas de diversos outros insumos industriais, inclusive da energia elétrica e dos combustíveis, frearam a recuperação econômica que vinha sendo liderada pela construção civil.

Enquanto isso, a produção de aço no Brasil se normalizou, mas, com a demanda menor e a cadeia produtiva abastecida, os fabricantes começaram a focar no mercado externo, exportando o excedente.

Esse movimento se intensificou em outubro, segundo dados divulgados na sexta-feira, dia 19, pelo Instituto Aço Brasil. No mês passado, as exportações brasileiras de produtos siderúrgicos tiveram um crescimento expressivo: 58,5%, atingindo US$ 1,1 bilhão na comparação com setembro deste ano e de 170% em relação ao mesmo mês de 2020.

De janeiro a outubro de 2021, as exportações atingiram 9,1 milhões de toneladas, ou US$ 7,5 bilhões. Esses valores representam aumento de 65,6% na comparação com o mesmo período de 2020.

Já a produção brasileira de aço bruto, em outubro de 2021, foi de 2,9 milhões de toneladas, um aumento de 3,1% frente ao apurado no mesmo mês de 2020. No acumulado de janeiro a outubro de 2021, a produção alcançou 30,3 milhões de toneladas, o que representa um aumento de 19,2% frente aos primeiros dez meses de 2020.

Ainda no acumulado de janeiro a outubro de 2021, as vendas internas foram de 19,4 milhões de toneladas, representando uma alta de 23,1% quando comparada a igual período do ano anterior.

No tocante ao consumo aparente de produtos siderúrgicos, em outubro, foi de 2 milhões de toneladas, 5,9% inferior ao apurado no mesmo período de 2020. Nos primeiros dez meses deste ano, o consumo aparente foi de 22,7 milhões de toneladas, acumulando alta de 31,0% frente ao registrado no mesmo período de 2020.

Comente aqui
O seu endereço de e-mail não será exibido no comentário
Campos obrigatórios estão indicados com ( * )
Ainda restam caracteres.
Seu comentário está aguardando aprovação.
Obrigado pelo seu comentário!

ferrominas@ferrominas.com.br

Rua Virgínia Brandão 157 - Santa Luzia
Centro, Ubá - MG, 36506-006