Nosso site utiliza cookies para melhorar a navegação do usuário. Os cookies são pequenos arquivos de páginas que você visita e que ficam salvos no seu computador. Clicando em "Eu Aceito!", você concorda com esse armazenamento no seu dispositivo e nossa Política de Privacidade.
Receba novidades do blog Mundo do Aço!

Mundo do Aço

Entenda por que os preços do aço e do minério têm subido tanto crédito: Divulgação World Steel

Analista sênior de uma das maiores casas independentes do mundo aponta como as decisões das autoridades chinesas e a dinâmica do mercado local devem impactar as cotações

O aumento acontece por causa do desequilíbrio do mercado. De um lado, a forte demanda de siderúrgicas na China e a restrita oferta internacional; do outro, o plano do governo chinês de restringir à força a produção de aço em 2021 para ajudar a cumprir suas metas climáticas, o que pode até aliviar o minério de ferro, mas vai pressionar mais o aço.

Os preços do minério de ferro na China influenciam o mercado global e isso inclui empresas siderúrgicas na bolsa de valores brasileira.

De acordo com Rosealea Yao, analista sênior da Gavekal Research e especialista em mercados imobiliário, de energia e infraestrutura, os principais riscos para os preços do aço são o esfriamento da demanda e as restrições à produção.

"Os principais riscos são duplos: que o governo chinês relaxe as restrições à produção para reverter os excessivos ganhos no preço ou que a demanda final por aço diminua à medida que a atividade de construção esfrie", destaca Yao.

Um crescimento mais lento da demanda no segundo semestre deste ano tornará mais fácil para o governo limitar a produção de aço e evitar que os preços aumentem ainda mais.

Os preços do aço, do minério de ferro e de outros produtos metálicos estão subindo com maior força desde meados de abril, quando os principais formuladores de políticas da China sinalizaram por duas vezes o aumento dos preços das commodities como uma preocupação.

"Os comentários sugeriram que há um limite para os aumentos de preços tolerados pelos legisladores", afirma Yao em relatório.

Segundo a especialista, o aumento da produção de aço sugere que a demanda está forte, mas os números também podem ter sido impulsionados por usinas que tentaram produzir o máximo que puderam antes de novas restrições.

"Com vários fatores apontando na mesma direção, uma desaceleração na demanda de aço para a construção civil deve ser o caso-padrão para o segundo semestre do ano fiscal."

Para ela, à medida que isso se desenrola e os preços de mercado se ajustam, a pressão sobre o governo para afrouxar as restrições à oferta diminuirá.

"Os preços do minério de ferro quase sempre se movem em conjunto com os preços do aço – exceto no caso de choques de oferta – e as grandes margens de lucro das siderúrgicas a partir dos atuais preços recordes também ajudarão a sustentar os preços do minério de ferro", explica a especialista da Gavekal Research.

Fonte: Exame

Comente aqui
O seu endereço de e-mail não será exibido no comentário
Campos obrigatórios estão indicados com ( * )
Ainda restam caracteres.
Seu comentário está aguardando aprovação.
Obrigado pelo seu comentário!

ferrominas@ferrominas.com.br

Rua Virgínia Brandão 157 - Santa Luzia
Centro, Ubá - MG, 36506-006