Nosso site utiliza cookies para melhorar a navegação do usuário. Os cookies são pequenos arquivos de páginas que você visita e que ficam salvos no seu computador. Clicando em "Eu Aceito!", você concorda com esse armazenamento no seu dispositivo e nossa Política de Privacidade.

Mundo do Aço

Na reta final de 2020, uma dúvida que fica é se as ações das siderúrgicas, que tiveram grande valorização neste ano, seguirão como apostas rentáveis para 2021.

Inicialmente o setor sofreu forte Impacto da pandemia do coronavírus, as empresas desligaram seus alto-fornos e a produção de aço despencou. Segundo maior consumidor de produtos siderúrgicos no país, atrás apenas da construção, a indústria automotiva foi praticamente nocauteada. Chegou a uma queda de 99% na produção em abril.

Com as medidas de isolamento social, as pessoas começaram a reformar suas casas. Isso foi determinante para reativar a demanda, levando-se em conta que a construção civil responde por praticamente metade do consumo de aço no Brasil. Os novos empreendimentos também seguiram a todo vapor.

Com a oferta  reduzida, as siderúrgicas ainda foram beneficiadas pela alta do dólar e a recuperação da economia da China. Os preços do aço dispararam. “A demanda voltou forte e a oferta estava restrita. Só esperávamos um reajuste de preço com a demanda extremamente positiva, o que achávamos que só haveria com o PIB crescendo”, disse Daniel Utsch, gestor da Fator Administração de Recursos, ao portal Seu Dinheiro.  

Esses fatores beneficiaram as ações das gigantes siderúrgicas do Ibovespa. A ação da CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) liderou as altas na bolsa brasileira: 120%. Usiminas (USIM5) avançou 53%, e Gerdau (GGBR4), 25%.

De acordo com os analistas, a CSN continua a mais promissora para 2021. “Hoje, a nossa preferência é por uma ação de uma empresa que combine siderurgia e mineração", diz Gustavo Lima, analista de siderúrgicas da Navi Capital, a Seu Dinheiro. "A exposição ao minério de ferro em alta, hoje, é muito importante", afirma, justificando a preferência pela CSN. Isso porque os preços do minério estão elevados com perspectiva de se manterem assim nos próximos meses, puxados principalmente pela demanda chinesa.

Mais beneficiada pelo boom da construção civil, a Gerdau também segue como aposta para 2021. Já a Usiminas, mais sensível ao preço do aço, ainda tem potencial de alta, segundo os analistas de siderurgia.

Comente aqui
O seu endereço de e-mail não será exibido no comentário
Campos obrigatórios estão indicados com ( * )
Ainda restam caracteres.
Seu comentário está aguardando aprovação.
Obrigado pelo seu comentário!

ferrominas@ferrominas.com.br

Rua Virgínia Brandão 157 - Santa Luzia
Centro, Ubá - MG, 36506-006