O Mundo do Aço

O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) encerrou o último trimestre do ano com alta de 2 pontos, para 94,9 pontos, informou a Fundação Getulio Vargas. Apesar do avanço na métrica trimestral, o índice ficou estável em dezembro, dando indicações pouco claras para o cenário do emprego no início de 2019. A estabilidade do IAEmp em dezembro não foi homogênea e foi composta pela alta de dois indicadores acima de quatro pontos e pela queda em cinco indicadores, com destaque ao indicador de Emprego Previsto na Indústria que caiu 5,4 pontos. Já o Indicador Coincidente de Desemprego (ICD) também ficou inalterado em dezembro, em 98,9 pontos. Na média móvel trimestral, o indicador subiu pela terceira vez consecutiva, o que para esse índice mostra um quadro negativo -- quanto maior o número, pior o resultado. Em nota, a coordenadora de sondagens da FGV, Viviane Seda Bittencourt, destaca que "depois recuar um pouco no mês anterior, o ICD ficou estável, mas ainda em patamar elevado em dezembro. O resultado sinaliza que, livre de influências sazonais, a taxa de desemprego continua caindo muito lentamente". Com relação ao indicador de desemprego, as duas classes de renda familiar mais baixas, contribuíram de forma positiva para o ICD, enquanto as duas classes de renda mais altas, contribuíram negativamente para o indicador. Fonte: IABr - Instituto Aço Brasil Seção: Indústria & Economia Publicação: 10/01/2019

Comente aqui
O seu endereço de e-mail não será exibido no comentário
Campos obrigatórios estão indicados com ( * )
Ainda restam caracteres.
Seu comentário está aguardando aprovação.
Obrigado pelo seu comentário!

ferrominas@ferrominas.com.br

Rua Virgínia Brandão 157 - Santa Luzia
Centro, Ubá - MG, 36506-006