Ferrominas
Tabela de Normas e técnicas


Usiminas quer vender unidade de mineração em 2019

A venda da fatia da Usiminas na Musa, sua unidade de mineração, deverá decolar após o desfecho das eleições presidenciais no Brasil. Segundo o presidente da siderúrgica, Sérgio Leite, a expectativa é de que o processo seja finalizado no primeiro semestre de 2019. A empresa contratou o BTG Pactual como assessor e já interage com potenciais interessados. A japonesa Sumitomo, que já detém 30% da Musa, é apontada como forte candidata a ampliar a participação na companhia.

“Há uma preocupação, fora do Brasil, sobre questões políticas e econômicas, e esperamos conseguir concluir a operação com maior clareza sobre o futuro do Brasil e com um ambiente mais favorável da economia, para o destravar os negócios”, disse o presidente da Usiminas, ao Estadão/Broadcast, lembrando que a Usiminas quer focar exclusivamente na produção de aço.

O executivo afirmou que o interesse é vender toda a fatia na mineradora. Se decidisse manter a operação, a siderúrgica teria de tomar a decisão de aumentar a capacidade da mina. A previsão é de que a capacidade de produção de minério de ferro da companhia irá se esgotar entre 2024 e 2025 e uma atitude sobre novos investimentos teria de ser tomada até 2020. O projeto Compactos, há anos na mesa da companhia, prevê elevar a capacidade da empresa para 29 milhões de toneladas.

O presidente da Usiminas disse esperar que o próximo governo priorize a área industrial. “Nossa expectativa é de que a indústria possa ser protagonista do desenvolvimento. Ela já representou 25% no PIB brasileiro e hoje representa 10%. Não existe uma grande economia sem indústria forte”, afirmou Leite. O executivo também preside o Instituto Aço Brasil (IABr), que declarou apoio ao candidato Jair Bolsonaro (PSL).

Hoje, a Usiminas tem elevada capacidade ociosa e espaço para atender o mercado por um período de elevado crescimento econômico sem precisar investir. “Com nossa capacidade ociosa podemos dobrar o volume produzido hoje”, disse.

A Usiminas superou recentemente uma longa disputa entre seus principais acionistas – a ítalo-argentina Ternium/Techint e a japonesa Nippon Steel. A briga, que se estendeu por anos e envolveu troca de acusações, contribuiu para desestabilizar o negócio em meio à crise econômica brasileira.

Hoje, a Usiminas tem alguns projetos em sua pauta estratégica, mas nenhuma decisão deverá ser tomada no curto prazo. Entre os aportes no horizonte estão a reforma do alto-forno 3 da usina em Ipatinga (MG), a reativação da atividade primária em Cubatão (SP) e a instalação de uma nova linha de galvanização na sede mineira.

Resultado

O lucro atribuível aos acionistas da Usiminas no terceiro trimestre, de R$ 263,9 milhões, veio 58% acima da média das estimativas de seis instituições financeiras consultadas pelo Prévias Broadcast (Bradesco BBI, Itaú BBA, JPMorgan, Morgan Stanley, Santander e XP Investimentos).

A geração de caixa, medida pelo Ebitda ajustado – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – atingiu a marca de R$ 703 milhões, ficando 10% acima das expectativas médias do mercado.


Fonte: Exame



Previsão da Usiminas é de estabilidade dos preços do aço no 4º trimestre
Antes do aumento de preço no terceiro trimestre o prêmio do preço do aço doméstico em relação ao importado estava negativo em 5%, mas hoje está positivo entre 5% e 10%, nível considerado adequado

Leia mais
…………………………………
Usiminas tem avanço no 3º trimestre
A companhia informou como destaques para o desempenho positivo os maiores preços e volumes de aço no mercado doméstico e cotações mais altas na exportação. Além disso, houve avanço também no negócio de minério de ferro

Leia mais
…………………………………
Usiminas quer vender unidade de mineração em 2019
Operação deverá decolar após o desfecho das eleições presidenciais no Brasil

Leia mais
…………………………………
Programa de saúde ocupacional da Usiminas recebe prêmio internacional
Premiação foi dada pela World Steel Associação durante conferência anual da entidade

Leia mais
…………………………………
Siderúrgica Posco tem maior lucro trimestral desde 2011 impulsionada por preços do aço
A siderúrgica sul-coreana Posco publicou nesta terça-feira o maior lucro trimestral desde 2011 e afirmou que espera que a receita de 2018 cresça impulsionada por preços mais altos de aço. A quinta maior produtora de aço do mundo elevou a previsão de receita anual para 64,8 trilhões de wons (57 bilhões de dólareS) ante estimativa anterior de 64,1 trilhões de wons divulgada em julho. Os preços do aço na China subiram quase 20 por cento este ano, impulsionados por interrupções de produção geradas por ações de combate à poluição e excesso de capacidade produtiva. O vice-presidente executivo da Posco, Kim Gwang-soo, afirmou em teleconferência com analistas que os preços do aço devem continuar fortes no quarto trimestre diante de demanda sólida. "Um aumento na produção de aço da China no terceiro trimestre e cortes menores que o esperado de produção pesaram sobre os preços...mas a demanda deve crescer no quarto trimestre e a China deverá reduzir a produção, embora o corte deverá ser menor que o realizado no ano passado", disse Kim. Em setembro, a produção diária de aço da China atingiu recorde de 2,7 milhões de toneladas, em média. O lucro operacional da Posco no trimestre passado subiu 36 por cento, para 1,5 trilhão de wons, informou a empresa. A receita do terceiro trimestre avançou 9,1 por cento sobre um ano antes, para 16,4 trilhões de wons.

Leia mais
…………………………………
 
 
 
 
Ubá
Telefone: (32) 3539-3300
ferrominas@ferrominas.com.br
Viçosa-MG (escritorio de vendas)
Telefone: (31) 3892-6391 / (31) 99989-0844
vicosa@ferrominas.com.br
   
© Copyrigth 2012 - Ferrominas - Todos os direitos reservados GW Soluções Web 32 3531-8286