Ferrominas
Tabela de Normas e técnicas


Brasil tenta barrar aplicação de sobretaxa ao aço pelos americanos

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima, espera convencer o governo dos Estados Unidos a não sobretaxar o aço brasileiro. Ele se encontrará nesta terça-feira com Wilbur Ross, secretário de comércio americano. Embora Lima tenha dito que sua agenda é ampla, ele afirmou que a situação do aço é a mais urgente em sua viagem:

- O aço é a principal preocupação do momento, por conta da premência da decisão potencial que poderá ser tomada pelos americanos - disse o ministro em entrevista na capital americana.

O governo americano estuda maneiras de proteger sua indústria de aço e alumínio e o presidente Donald Trump tem até 19 de abril para decidir entre implementar uma tarifa de ao menos 53% de importação para Brasil, China, Rússia e outras nove nações, criar cotas ou elevar o imposto de importação para ao menos 24% para o produto de forma linear a todos os países. Estas três medidas foram sugeridas pela Secretaria de Comércio dos EUA e enviadas para a Casa Branca.

O ministro afirmou que acredita que há espaço para convencimento do governo, lembrando que 80% da exportação brasileira aos EUA é de produtos semi-acabados, ou seja, ajuda a indústria americana. E que, para isso, o Brasil importa carvão dos EUA. Os Estados Unidos representam um terço das cerca de 15 milhões de toneladas exportadas anualmente pelas empresas brasileiras. O Brasil já é o segundo maior exportador de aço aos EUA, atrás apenas do Canadá.

Lima afirmou que não estará apresentando nenhuma barganha com os americanos, ou seja, nem ameaçar sobretaxar o carvão americano ou reduzir a tarifa do etanol, pedido dos produtores americanos. Ele afirmou que o aço brasileiro tem ajudado o setor americano, que não é autosuficiente no produto. Ele disse que qualquer das três decisões - cota, tarifa extra para o Brasil ou aumento linear de imposto para todos os países afetaria a recuperação do setor e da indústria. Questionado qual preferiria, ele disse imaginar como “menos pior” o aumento linear de imposto a todos os países.

O ministro estava acompanhado de representantes do setor do aço, que lembraram que a exportação brasileira cresceu aos EUA com apoio do governo americano, que deu incentivos fiscais para empresas que apenas processam produtos semi-acabados, ou seja, iguais aos exportados pelo Brasil.

- Será um tiro no pé - disse Marco Polo de Mello Lopes, presidente do Instituto Aço Brasil, afirmando que qualquer medida imposta ao Brasil afetará empresas americanas, tanto do setor como de carvão.


Fonte: O Globo



Usiminas eleva compra de placas de aço após explosão em gasômetro
Por conta da explosão em seu gasômetro na unidade de Ipatinga (MG) , a Usiminas teve que adquirir 35 mil toneladas adicionais de placas de aço no mês passado para garantir o abastecimento de sua produção. A usina teve que ficar parada por alguns dias, logo após o ocorrido. Fora de casa A siderúrgica mineira, que está com a sua atividade primária em Cubatão (SP) paralisada há mais de dois anos, vem comprando placas de terceiros – como da Ternium (ex-CSA) e da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP). No segundo trimestre deste ano, a Usiminas processou 357 mil placas adquiridas. Procurada, a Usiminas não comentou.

Leia mais
…………………………………
Usiminas avança 4% com possível reajuste do preço do aço
Vale (VALE3) e siderúrgicas As ações da Vale sobem em meio à alta do minério de ferro e chegam a R$ 58,00. Vale destacar que uma “nova era do minério de ferro” pode ser traduzida em resultados surpreendentes para a Vale no futuro próximo, de acordo com analistas e gestores com cobertura do setor ouvidos pela InfoMoney. Com este cenário pela frente, junto a um "momento raro" dos negócios, a mineradora tem tudo para ser uma boa pedida para compor carteiras de investimentos focadas no pagamento de dividendos. Confira a matéria completa clicando aqui. As siderúrgicas também registraram alta. Ontem, o Valor Econômico noticiou que a CSN (CSNA3) e Usiminas (USIM5) aproveitaram o momento de desvalorização do real e da resistência dos preços internacionais, para anunciarem um possível novo reajuste já para o mês outubro. O aumento médio deve ser de 5% para todos os produtos, sendo este o quarto reajuste anunciado apenas em 2018.

Leia mais
…………………………………
CSN fecha termo de Ajustamento de Conduta que mantém funcionamento de usina
A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) informou, por meio de fato relevante, que concluiu as tratativas com os órgãos do Estado do Rio de Janeiro para a celebração de um Termo de Ajustamento de Conduta que mantém o pleno funcionamento das operações da Usina Presidente Vargas, localizada em Volta Redonda. O termo contempla investimentos de aproximadamente R$ 303 milhões em projetos e ações ambientais na região até agosto de 2024 e representa um compromisso da companhia com a sustentabilidade das suas atividades, com as comunidades de Volta Redonda e região. As tratativas com o Estado do Rio foram feitas por meio da Secretaria de Estado do Ambiente, o Instituto Estadual do Ambiente e a Comissão Estadual de Controle Ambiental.

Leia mais
…………………………………
Quase 90% da capacidade de produção de aço da China cumprirão metas de emissões até 2025, diz executivo da Vale
Quase 90 por cento da capacidade de aço da China terá cumprido os novos padrões de emissão até 2025, disse na quinta-feira uma autoridade da Vale. "Até 2025, quase 90 por cento da capacidade de aço na China terá atendido a esses novos padrões", disse Peter Poppinga, diretor-executivo da Vale, em uma conferência do setor. A China tem pressionado agressivamente as cidades a reduzirem a produção industrial para combater a poluição, incluindo plantas na principal cidade siderúrgica de Tangshan. Poppinga também disse que a produção de minério de ferro da Vale está atualmente em 400 milhões de toneladas por ano. "Achamos que este é um nível saudável daqui para frente quando você pensa em otimização de margem", disse ele.

Leia mais
…………………………………
Cadê o dividendo da CSN que estava aqui? R$ 0,64 por ação "evapora" na mão do acionista
Empresa cancela dividendo após declarado, preços não são corrigidos em Bolsa e investidor assume perda de capital

Leia mais
…………………………………
 
 
 
 
Ubá
Telefone: (32) 3539-3300
ferrominas@ferrominas.com.br
Viçosa-MG (escritorio de vendas)
Telefone: (31) 3892-6391 / (31) 99989-0844
vicosa@ferrominas.com.br
   
© Copyrigth 2012 - Ferrominas - Todos os direitos reservados GW Soluções Web 32 3531-8286